Sábado, 22 de Janeiro de 2022
Mundo MUNDO

Homem vende própria filha por dois saquinhos de cocaína

Menina foi forçada a ter relações sexuais com vários homens ao mesmo tempo

13/01/2022 às 16h02
Por: Portal DNN Fonte: Carlos Rocha
Compartilhe:
Homem vende a filha por dois saquinhos de cocaína (Foto: Reprodução/ Twitter)
Homem vende a filha por dois saquinhos de cocaína (Foto: Reprodução/ Twitter)

Um dos 37 detidos por tráfico sexual de menores em Madrid, Espanha, vendeu a sua própria filha de 13 anos a um homem de origem dominicana em troca de “dois sacos de cocaína”, revela o canal La Sexta, que teve acesso às diligências policiais.

O canal revela ainda que a jovem foi forçada a ter relações sexuais com vários homens ao mesmo tempo, incluindo líderes da rede de prostituição, e que esteve 48 horas sem dormir. 

O depoimento da vítima foi fundamental para a investigação da rede que obrigava jovens a prostituir-se e a consumir drogas.

Após conseguir fugir do local, a jovem foi encontrada andando pelas ruas de Madrid e transferida novamente para um centro de proteção de onde já havia escapado anteriormente. Foi nesse centro, revela o El Mundo, que a vítima contou a uma das funcionárias que estava sendo explorada por uma rede, que a obrigava a ter relações sexuais e a consumir droga, e que, além dela, outras “meninas com dificuldades financeiras” também tinham sido “recrutadas para a prostituição”.

A investigação começou em abril de 2021 e culminou, em dezembro, na detenção de 37 pessoas, com idades entre os 18 e os 56 anos. Entre os detidos estão espanhóis, marroquinos, romenos, nigerianos e cubanos, mas a maioria é de nacionalidade dominicana. 

No início deste ano, a Polícia Nacional revelou que “os detidos, além de prostituírem as jovens, em troca de dinheiro ou drogas, também as utilizavam para a venda de entorpecentes”. 

As vítimas, dez jovens entre os 14 e os 16 anos, eram aliciadas através das redes sociais. Após ser contatada pelo site de fact-checking espanhol Maldita, a Polícia de Madrid confirmou que quatro das jovens “estavam sob a tutela de vários centro da região madrilena durante o período de investigação [abril a dezembro de 2021” e as restantes “passaram em algum momento da sua vida por centros da região”.

Os abusos ocorreram num ‘narcopiso’ - palavra espanhola usada para descrever casas conhecidas por tráfico e consumo de droga - e, “quando entravam clientes para comprar as doses, uma mulher dava-lhes a possibilidade de ter relações com as menores”.

Foi num destes momentos que uma das vítimas - que o El Mundo revela hoje ser a menina vendida pelo pai - conseguiu fugir e denunciar o caso. 

Além do ‘narcopiso’, as jovens eram também abusadas noutros locais, nomeadamente num cabeleireiro que continha um “esconderijo sem iluminação e uma cama”. Foi também descoberta uma câmera fotográfica, que poderá “conter material pornográfico das menores”. 

Os detidos estão acusados dos crimes de agressão sexual, prostituição de menores, posse de pornografia infantil, detenção ilegal e crime contra a saúde pública. Oito ficaram em prisão preventiva.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias